YES WE CAN!


Yes we Can! Yes we Can! (Sim, nós podemos! Sim, nós podemos!)
Com certeza esta tem sido a frase mais divulgada em nossos dias, o “Sim, nós podemos” usada pelo presidente Barak Obama em sua campanha presidencial (2008) tinha como objetivo resgatar a esperança no coração dos americanos em meio a grandes turbulências econômicas e diplomáticas, até aí tudo bem, não há nada de errado em querer injetar esperança no coração das pessoas, esta é a função de um líder. Na verdade, o evangelho de Jesus, ou as boas novas, é também uma mensagem de esperança para o pecador.
Mas onde está o problema da frase “Yes, We Can”, está justamente na busca do homem em resolver seus problemas por si só, com esforços próprios e sem o auxilio de Deus. Logo, alguém poderia dizer: “Como é que vamos buscar ajuda de Deus para resolver problemas que nós mesmos causamos”? Ou “Este problema cabe a nós resolver, não precisamos de ajuda dele”, e é nesta terra que está fincada a raiz da arrogância. Mais uma vez o homem demonstra o fruto da semente plantada lá no Éden, a “independência de Deus”, vivemos dias em que os homens estão cada vez mais confiantes em seus métodos, o sentimento de que “nós podemos” está claro na política, na família, na sociedade e até na religião.
Só que esta independência tem um preço, e muito alto! Sempre que buscamos realizar coisas confiando em nossa inteligência, habilidade e experiência não confiando no auxilio de Deus, sem reconhecer nossa dependência a ele, aí, forçamos o juízo de Deus sobre nossas vidas. O juízo não é uma ação enérgica de Deus contra o homem, na verdade, o juízo de Deus é sua falta de ação, é quando Deus decide abrir mão do homem, deixá-lo por si só, sabemos que o fim é sempre trágico.
Aplicando em nossas vidas, podemos afirmar que muitas vezes a falta da ação de Deus em nossas vidas, trabalho, igreja e ministério pode indicar que seu juízo está sobre nós, ou seja, ele deixou-nos à mercê porque já o deixamos antes. Deixamos a Deus quando dissemos “Sim, nós podemos”, quando não buscamos sua direção para fazer um trabalho, não querendo conhecer sua vontade para nossas reuniões de célula, não dependemos dele quando vamos ministrar, consolidar, enfim, o Senhor nos deixa quando teimamos, quando resistimos sua voz a ponto de afastá-lo por causa de nossa arrogância e auto-suficiência. Que o Senhor possa ter misericórdia de nós!
Avaliando a longa vida de Moisés podemos concluir que todo líder passa – ou deveria passar – por pelo menos três fases em sua liderança, lembrando que estas fases foram tres perídos de 40 anos:
  1. SIM, EU POSSO! Esta é a primeira fase. Neste período o líder está cheio de auto confiança, sente-se preparado para tudo e para todos. Aos 40 anos de idade Moisés era diferente de seus compatriotas, tinha instrução, conhecimento, posição, status, enfim, era um príncipe; e como tal achava que Deus usaria sua sabedoria humana, posição e habilidades para libertar o povo do Egito – ledo engano! – Nesta tentativa de ajudar a Deus ele acabou matando um egípcio (Ex 2:11-15). Isto é o que acontece quando realizamos coisas em nossa própria força, ou seja, na carne! logo geramos morte. A solução de Deus para estes é o deserto, graças a Deus que existe o deserto!
  2. NÃO, NÃO POSSO! O deserto foi o instrumento de Deus para ensinar a Moisés que sua obra era feita através de seu favor, não no braço da carne. O deserto é um lugar de solidão, sofrimento, medo, vergonha, angustia, tratamento e por fim arrependimento, no fim, ficamos tão quebrantados e tratados pelo Espírito do Senhor a ponto de cair de joelhos dizendo... “Não posso, Eu não consigo!”. Quando reconhecemos que não podemos, que somos pó, daí Deus se levanta a nosso favor porque aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado (Lc 18:14; Tg 4:10). Enquanto não passarmos por este tratamento, o Senhor não vai confiar em nossas mãos um povo, antes de conduzir um povo ao deserto é preciso conhecê-lo primeiro. É impossível levar outros a serem tratados por Deus se primeiro nós não o formos.
  3. SIM, DEUS PODE! Aos 80 anos de idade Moisés começa esta fase quando Deus o usou para trazer as dez pragas sobre o Egito, logo, ele guiou o povo ao deserto até morrer aos 120 anos. Esta é a última e melhor fase de Deus em nossas vidas, este é momento que perdemos o medo de liderar, confiamos inteiramente na provisão de Deus, sabendo que Ele é quem nos guia, tornamo-nos cooperador do Espírito Santo em sua obra, somos cheios de sua glória, seu poder confirma as obras e nossos passos. Só que desta vez é diferente, passamos a trabalhar no descanso do Senhor fazendo sua obra na dependência do Senhor, através de sua graça; daí que experimentamos a cada dia o sobrenatural, alcançamos as promessas. Gerar filhos espirituais e cuidar deles torna-se algo natural e prazeroso, enfim, experimentamos a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.

Amigo, que esta seja nossa oração, que este seja o clamor de nossos corações todos os dias: YES, GOD CAN!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estatísticas alarmantes sobre o comportamento evangélico

Biblia "The Word"

RESILIENCIA - UMA QUALIDADE FUNDAMENTAL NA VIDA CRISTA